14 de mai de 2012

Avifauna e serviços ecossistêmicos


Avifauna e serviços ecossistêmicos: saberes dos moradores da região de Joselândia, Barão de Melgaço, MT

Relatório de Campo 01/2012

Samuel Borges de Oliveira Júnior


             Nos dias 24 e 25 de abril, no meio de uma vegetação que misturava cerrado, cambarás e uma área alagável, estava observando o ninho de um gavião-real, com a presença do seu João, morador do distrito de Joselândia. Seu João mora na região desde pequeno e é apaixonado pelo Pantanal, conforme demonstra nossas conversas.

            As árvores não lhe são estranhas, sabendo o nome e para que utilizar cada uma delas. Os animais também fazem parte do seu cotidiano, sejam eles aves, mamíferos ou peixes. Os peixes são importantes para ele, pois gosta de pescar e fica ansioso quando se aproxima o dia da pescaria. E como é bom deliciar um pacu frito ou ensopado em sua casa.

            Nessa área, as aves são nossas companheiras constantes, desde pequenos passarinhos até o grande tuiuiú, que chama atenção quando passa sobrevoando a área. Como o assunto de interesse da pesquisa é sobre as aves logo começo a perguntar o nome das espécies que passam pela gente. A grande maioria está na ponta da língua de seu João. Socós, siquiras, garças, pixuítas, amassa-barros, beija-flores, gaviões, araçaris, entre outras, são algumas das aves que frequentam essa região onde estávamos.

            Depois de falarmos sobre os nomes, começo a perguntar para que “servem” (eles usam muito a palavra “servir” para indicar o uso das espécies na região), ou seja, quais são os serviços ecossistêmicos relacionados à avifauna local. A primeira “utilidade” diz respeito às espécies utilizadas como complemento alimentar (serviço ecossistêmico de Provisão). Entre essas espécies temos jacus, mutuns, arancuãs, inhambus. Mas, segundo seu João, quase já não caçam mais essas aves na região. Poucas pessoas ainda fazem essa prática.


Mutuns- Crax fasciolata (Foto: Samuel Borges)
­

 Jacus – Penelope ochrogaster (Foto: Samuel Borges)

             Ele também fala que algumas pessoas gostam de ter um “passarinho” em casa, pra alegrar e pra fazer companhia. Na sua casa não é diferente. Eles têm um papagaio cural que é considerado como se fosse da família. Além de ficar o dia inteiro “conversando” com quem está próximo dele, esse papagaio chama a atenção por ser todo amarelo. Esse gosto por um animal de estimação se enquadra no serviço ecossistêmico Cultural, ligado a questões estéticas, de beleza, como é o caso do papagaio de seu João.

Cural –Amazona aestiva (Foto: Samuel Borges)

             Além disso, o nome das aves também está presente nas cantigas de siriri que seu João conhece e canta. Essas cantigas, típicas da cultura local, fazem parte também do serviço ecossistêmico Cultural. Como são muitas cantigas, um relatório contendo apenas essas cantigas será futuramente postado no blog.

             Acaba o dia e voltamos para a residência do seu João. Casa simples, mas aconchegante, onde a felicidade está estampada no rosto de seus moradores, que em todo o momento são solícitos, como se você fosse o integrante mais importante da família. Entre causos e brincadeiras, chega o momento de descansar um pouco. Apesar do recanto do pesquisador ser uma barraca, o dia-a-dia vivido durante a pesquisa, compensa e faz valer a pena qualquer esforço.

Casa do Seu João (Foto: Samuel Borges)

Recanto do pesquisador (Foto: Samuel Borges)

            Esse foi o primeiro relatório de campo da pesquisa realizada na região de Joselândia, no nosso magnífico pantanal mato-grossense. A riqueza e a beleza da avifauna pantaneira e dos saberes locais dos moradores sobre as aves e sobre a região onde moram demonstram a importância da conservação do pantanal e das comunidades que estão inseridas no bioma. Essa deve ser nossa causa de luta. Não devemos apenas pesquisar as comunidades e depois nos isolarmos. Temos que ajudar a conservar essa diversidade das espécies e dos saberes presentes nessa região.

Cuiabá, 14 de maio de 2012.

Um comentário:

michèle sato disse...

ficou bom o relato samu!!! parabéns e grata! eu só aumentei as fotos, que tb ficaram mto lindas.

beijos
*